3 de abr de 2012

Manifesto Brega


  • Só me interessa o que não é meu". Inclusive o mulherio.
  • Corno e brega são duas almas num só sabugo, indissociáveis, intransponíveis, insubstituíveis...
  • Estamos enjoados do way of life chinfrim que prega a estética da mesmice como paradigma da criação. Corno também é gente.
  • Devemos usar todo e qualquer enlatado, para ter a munição necessária, encher o bucho e depois, nessa ordem, peidar, cagar e arrotar ao deus-dará.
  • Nossa é a preocupação com a fuleiragem, a falta do que fazer, o corno, a mulher do corno, a prevaricação e o descomprometimento estético absoluto.
  • Já está provado por A + B que A + B não prova nada!
  • Abaixo as roupas cinzentas e o paletó preto. O preto é a ausência de luz. A cor oficial do corno é o marrom. O brega deve usar todo o espectro.
  • Todo mundo é bem-vindo, desde que venha com a mente e as pernas abertas.
  • O terceiro milênio será a idade de ouro do brega. Viva Raimundo Soldado, e abaixo João Gilberto!
  • É necessário a criação da vacina brega para o equilíbrio vital contra as incursões do chique, do bom senso, do mais ou menos, do bonzinho, do bonitinho e do arrumadinho.
  • Só é corno quem quer. Só é brega quem pode.
  • Falta de vergonha, sim! Falta de imaginação, não!
  • Nada temos a ver com nada, mas o que vier a gente traça!!! O índio aceita a catequese, mas se o jesuíta vacilar...crau!
  • Viva o brega! Viva o corno! Viva o Ricardão! Viva a mulher! Viva o Carnaval! Viva o fuleiro!

Ass.:Falcão