1 de mai de 2012

A Comovente carta da Mamãe Portuguesa D. Maria Joaquina para seu querido filho José Emanuel popularmente conhecido por Zé mané no Brasil



Coimbra, 31 de Fevereiro de 3012
Meu querido filho José Emanuel


 Escrevo estas poucas linhas que é para saber que estou viva.
 
 Escrevo devagar porque sei que não gosta de ler depressa. Se receber 
esta carta, é porque chegou. Se ela não
chegar, avisa-me que eu mando outra.
 
 O teu pai Joaquim, leu no jornal que a maioria dos acidentes ocorre a 1 km de 
casa. Por isso, mudamo-nos pra mais longe.
 
 Sobre o casaco que queria, o teu tio disse que seria muito caro mandar 
pelo correio por causa dos botões de ferro que pesam muito. Assim, arranquei os botões e coloquei-os no bolso. Quando chegar aí, pregue-os de novo.
 
 No outro dia, houve uma explosão no botijão de gás aqui na cozinha. 
Teu pai e eu fomos atirados pelo ar e caímos fora de casa. Que emoção! Foi a primeira vez em muitos anos que  o teu pai e eu saímos juntos.
 
 Sobre o nosso cão, o Rexlino, anteontem foi atropelado e tiveram que 
lhe cortar o rabo, por isso toma cuidado quando atravessar a rua.
 
 Tua irmã Laura vai ser mãe, mas ainda não sabemos se é menino ou 
menina. Portanto, não sei se vai ser tio ou tia.
 
 Hoje, teu irmão Vasco me deu muito trabalho. Fechou o carro e deixou as chaves lá dentro. Tive de ir em casa, pegar a reserva para a abrir. Por sorte, cheguei antes de
 começar a chuva, pois a capota estava abaixada.
 
 Se vir a Dona Rosinha, diz-lhe que mando lembranças. Se não a vir, não 
digas nada.
 
 Um beijo,
 Tua mãe
 
 PS: Era para te mandar os 300 Euros que me pediu, mas quando me l
embrei já tinha fechado o envelope.