27 de fev de 2013

Salve Navarro!!!




Embalos de violas para Clarimundo

(Fragmento)
Newton Navarro

Trinta
cordas de agonia
Trinta tons de sentimento
Minha garganta vazia
Não
tem versos
Não tem rimas
Para dizer o meu tormento.

Trinta
cordas de violas,
Trinta choros de instrumento
Que me valham céus
e terra
Com seus fortes elementos
Pra chorar a Clarimundo
Adormecido
na morte
Após tanto sofrimento.

Trinta sons de desêspero
Trinta
nomes de silêncio
Pra consolar êsse moço
Que cantou pra tanta 
gente
E jaz agora por terra
Solitario e sem descanso
Com todo o
peito cortado
E o coração desolado
De tanto padecimento.

Trinta
bordões enflorados





Com cravos de roxa cor,

Trinta primas afinadas
rimando
secretamente
nossa mágoa e sua dor.

Acendam-se madrugadas
Como
círios em redor,
Porque sem luz esses olhos
Não podem vagar tão 
sós.
Para o céu há tanto espaço,
Como poderá alcançá-lo
Se no 
rosto há tanto pó?

Trinta estrêlas matutinas
Seu rosto devem 
velar.
Trinta fontes de águas claras
Seus olhos devem lavar.
Trinta
violas sonoras
A sua alma serenar.
E um anjo feito sereno
Aos 
céus sua alma levar...

Natal, 8 de Novembro de 1955