5 de nov de 2011

Natal do Caos à Lama


NATAL URGENTE: Para não cair em buraco na avenida dos Xavantes, motoristas usam a contramão no bairro Cidade Satélite.




Roberto Lucena - Repórter

A Prefeitura do Natal assinou, somente este ano, contratos que somam R$ 2.664. 338, 11 para realizar obras na chamada "operação tapa-buracos", de acordo com publicações no Diário Oficial do Município (DOM). Suspensa desde agosto passado por falta de pagamento às construtoras contratadas, a operação não deu conta de recuperar todas as ruas e avenidas danificadas na cidade. A má conservação das vias continua gerando buracos em todos os  bairros da cidade. Moradores e, principalmente, motoristas, reclamam dos prejuízos causados pela buraqueira.




Sejam em ruas menos movimentadas ou avenidas onde a circulação de veículos é maior, os buracos incomodam. Cansados de aguardar uma solução para o problema, moradores e comerciantes próximos à esquina da rua Nova Aurora com a avenida dos Xavantes, no bairro Cidade Satélite, resolveram protestar. No local, existe uma cratera que representa perigo ao trânsito. Para sinalizar o buraco, eles resolveram colocar três aparelhos de televisão na via e um cartaz com a seguinte frase: "Atenção! A eleição está aí e o buraco está na TV aqui".



"Essa foi a forma que encontramos de chamar atenção para o problema. Não é brincadeira, há mais de um ano existe esse buraco aqui e nunca resolvem o problema. O risco de acidente é grande. Já perdemos a conta de quantos carros furaram o pneu porque caíram no buraco", disse o comerciante Ricardo César.   Além da cratera sinalizada, há outros buracos no mesmo lugar. Praticamente uma faixa inteira da via está comprometida, obrigando motoristas trafegarem contramão.  "E os motoristas de ônibus fazem isso em alta velocidade. É um absurdo", completou Ricardo.

A TRIBUNA DO NORTE tentou falar, sem sucesso, com o titular da secretaria municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), Sérgio Pinheiro, ontem à tarde. A assessoria de imprensa da Semopi informou apenas que a secretaria tem conhecimento do problema na avenida dos Xavantes e que, na próxima semana, uma equipe de técnicos irá ao local para começar a obra de recuperação da via.


 

   Em agosto passado, a dívida com as empreiteiras que realizavam a "operação tapa-buraco" nas ruas de Natal girava em torno de R$ 2,5 milhões. O valor era uma estimativa do então titular da Semopi, Dâmocles Trinta. "A dívida não é muito alta", chegou a considerar Dâmocles. De acordo com a Lei Orçamentária Anual (LOA) 2011, a Semopi contaria este ano com uma verba de R$ 6,382 milhões para a conservação e manutenção de vias públicas, de um orçamento total previsto de R$ 849,7 milhões para aquela secretaria. A previsão era de recuperar 2.500 metros quadrados de pavimentação de ruas.

No dia 23 de junho passado, o secretário Dâmocles declarara que pretendia intensificar o ritmo do programa de recuperação de ruas até setembro, usando recursos próprios do município, enquanto não vinha os recursos da Secretaria Nacional de Defesa Civil, vinculada o Ministério da Integração Nacional (MIN). Na ocasião, ele dizia que o governo federal aprovara a liberação de R$ 10 milhões em duas parcelas para ajudar na restauração de ruas, mas que tinha R$ 6 milhões em recursos próprios para iniciar a operação. 

O problema com as vias esburacadas se repete em outros bairros da capital. Em Felipe Camarão, moradores sentem-se desprestigiados pelo poder público. "A gente não vê melhoria nenhuma. Às vezes eles fazem o recapeamento mas, pouco tempo depois, o asfalto esfarela e os buracos aparecem novamente. Acho que usam material de baixa qualidade. Quero ver se isso acontece na zona Sul", disse a dona de casa Conceição Aguiar. Na avenida Ayrton Senna, os comerciantes contam que a Semopi fez algumas obras de reparo, porém, a qualidade deixou a desejar. "Você pode perceber que o asfalto ficou desnivelado. O risco de acidente é grande", afirmou o contabilista Anderson de Assis.