11 de jun de 2010

De volta e em grande estilo!!!

Há algum tempo que venho fazendo de um tudo para ter esta personalidade ilustre por aqui. Ou melhor, personalidades, pois teve momentos em que o arquétipo ocupou bastante o lugar do cavalo.
Um é um berço de seriedade e doçura o outro e o supra-sumo (lembrei das pastilhas) do escracho. Ele(s) é taurino (tem o vigor e a cabeça de um touro – perco o amigo, mas não perco a piada) de 54 anos, nascido em Mossoró, adora fuder e chupar buceta (com um limãozinho fica bem legal) Tertuliano Aires, é o cara que mais dar acesso ao conhecimento musical e cinematográfico que existe com o seu empreendimento Capitão Gancho Produções e quando é chamado dá vida ao personagem que é um ídolo por onde passa. Ano passado levou o Teatro Alberto Maranhão ao Delírio no seu trabalho paralelo Balalaika Brega Band e recentemente causou o maior furor com o seu show há anos sem palco, no Veros Cabaré e no Castelo Pub, onde eu presenciei as pessoas perplexas de emoção com toda a poesia fescenina, imoral, divertida, pornofônica, impublicável e proibido para menores de 18 anos.

Quero Dar boas vindas às minhas IMBECILIDADES com Tertuliano Aires. Ou melhor, Cabrito

1. O que é pior: fila de banco ou carro de som em posto de gasolina?
Os dois são horríveis. Fila é perda de tempo e escutar o que você não quer é foda!

2. Um bola a fora na atualidade?
Direito Autoral. Tem compositor potiguar ganhando R$ 1,50 por música gravada por cantor nacional de renome.

3. Um programa de Índio?
Shopping Center

4. Quem você deixaria numa ilha deserta?
Ariano Suassuna. Ele já está numa ilha deserta por causa do seu próprio preconceito.

5. Um lugar que fica na baixa da égua?
A casa do Cabrito

6. Um filme que você indicaria para um inimigo?
Faces da Morte
7. Uma comida que você detesta?
Cuscuz doce, mungunzá doce e peixe com alho.

8. O que te dar ódio em ver?
Uma mulher linda com outro homem que não seja eu.

9. O que te broxa?
Traição

10. Uma frase imbecil:
O Brasil é um país de todos.

Quero dizer para o meu amigo Cabrito, que mesmo sem querer ser imbecil, mas já sendo. O Brasil pode até não ser de Todos. Mas cabe tanta presepada.