28 de dez de 2010

Pai Herói

Jacó levou o seu filho Jacozinho para um parque de diversões futurístico que chegara em sua cidade. Uma das principais atrações era uma pequeno avião que fazia passeios com as crianças. Jacó levou seu filho para ver o avião de perto e o piloto do avião dirigiu-se a ele dizendo:
- Então, quer dar um passeio com o garoto?
- Quanto é? - perguntou Jacó, apreensivo.
- São 50 reais. - disse o piloto.
- O quê? 50 reais pra dar uma voltinha nesse avião sem graça? - retruca Jacó.
Então Jacozinho ficou furioso e começou a chorar.
- Papai, papai...Leva jacozinho, leva Jacozinho!
E o piloto, comovido com o choro do garoto, disse:
- Bem, o senhor está achando o passeio caro e sem graça e seu filho quer muito ir, então façamos um trato: eu levo vocês dois de graça, mas como o senhor diz que o passeio não tem graça, não pode ter medo! Se o senhor gritar ou der um suspiro de medo, me paga o passeio, combinado?
- Vamos, Jacozinho. Sobe! O piloto sabe fazer negócio - exclama Jacó, animado.
Então o piloto decolou e ficou olhando pelo espelho a feição de Jacó, que estava impassível. O piloto começou a fazer várias manobras e Jacó permanecia calmo. Deu mergulhos, loops, girou de cabeça para baixo, desligou o motor, raspou em uma árvore, e Jacó nada. Então ele desistiu e pousou. Já no chão, virou-se para Jacó e perguntou:
- Tudo bem, o senhor não me paga. Mas confesse, não teve vontade de gritar em nenhum instante?
- Bem, pra dizer a verdade, quando Jacozinho caiu, eu quase gritei...