18 de mai de 2010

Grande Lirinha no Tam mais uma vez! Será que Hilnet vai enlouquecer de novo? hehehehe

Lirinha de volta a Natal com a peça Mercadorias e Futuro
Dia 30 de maio a partir das 20h no Teatro Alberto Maranhão, o público de Natal vai poder assistir pela primeira vez o espetáculo “Mercadorias e Futuro”, projeto paralelo de José Paes de Lira, vocalista do grupo Cordel do Fogo Encantado.
Escrito e interpretado por Lirinha, “Mercadorias e Futuro” é uma performance que une texto, som, luz e improviso. Na peça ele interpreta Lirovsky, um vendedor de livros que inventou uma parafernália de máquinas em forma de carrinho para ajudar em seu ofício. Mas ele não é um simples vendedor. É um comerciante de registros proféticos, mercador, rastreador de pistas, pesquisador e também inventor de máquinas.
Abordando temas como arte, comércio, direito autoral, dificuldade de unir arte e negócios e como trabalhar e ganhar dinheiro, Lirovsky, personagem condutor, tem o desafio de vender um livro de profecias e de mostrar como o livro é importante na vida das pessoas. Se utilizando de um aparato tecnológico que está sempre ao alcance, Lirovsky faz da narrativa de “Mercadorias e Futuro” uma linguagem nova, levando ao público a mistura de música, poesia e improvisações.

SERVIÇO
Domingo, 30 de maio, 20h
Teatro Alberto Maranhão
Ingressos: R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia)
Venda: Livraria Nobel (84) 3222-2565
Informações: 8837-1553 - 9406-2239
SINOPSE

Lirovsky é um vendedor de livros e personagem-condutor do espetáculo “Mercadorias e Futuro”.
Na verdade ele não é apenas um simples vendedor. É um comerciante de registros proféticos, mercador, rastreador de pistas, pesquisador e também inventor de máquinas.
Lirovsky, representado pelo autor José Paes de Lira, é dotado da ciência de colecionar a poesia das predições e de caçar as inscrições do que está por vir. Possuidor do dom de estudar, de decifrar e de narrar mensagens que anunciam o futuro, é também detentor do direito divino de transformar essa narrativa na mercadoria que oferece ao público.
Seu desafio é convencer as pessoas que o livro que ele está ofertando, - um livro de profecias -, é imprescindível para suas vidas e que, por isso, devem comprá-lo. Afinal, é um livro que prevê o futuro! E vender livros é seu meio de vida.
O livro que Livovsky está a ofertar traz as predições de três “profetas” ficcionais: João Pedra Maior: morador das árvores, gigante conhecedor das ciências secretas e que deixou sua profecia nas pedras pintadas com tinta de folhas.
Tereza Purpurina: leitora de cartas, que guardou seu predito no baralho que lia na beira da ponte, de onde um dia voou o valete que amava.
Benedito Heráclito: guerrilheiro vivo e sabedor da crença de que a profecia vendida cumprirá a missão de transformar o entorno e modificará as relações das gentes com a Interlândia.
No exercício de sua função de vendedor, Lirovsky ocupará o palco como se ocupasse uma feira, à semelhança dos antigos que vendiam poesia metrificada pendurada em cordões, o que hoje denominamos “literatura de cordel”.
Para captar a atenção do público circundante, ele recorre a estratégias da oralidade que caracterizam os mercados de rua e equipa o espaço que utiliza para exercer o seu negócio com uma parafernália de máquinas que inventou.
Dessa aparelhagem, dispara sons, imagens e luz, pondo em cena um aparato de recursos tecnológicos contemporâneos. São equipamentos que ele mantém ao alcance do corpo, ativando um arsenal de áudios pré-gravados que se convertem na trilha sonora da peça.
Além do aparato tecnológico de som e luz, e, claro, das citações dos profetas que compõem o livro, Lirovsky recorre à obra de outros poetas, não ficcionais, para fortalecer seu argumento de vendedor. Aí entra a estética do improviso, decorrente da herança poética do autor, com citações de falas de poetas como Zé da Luz, Manoel Filó e Lourival Batista.
Isso tudo resulta num espetáculo dinâmico, repleto de referências poéticas tradicionais e contemporâneas, que estabelece um elo entre o arcaísmo das feiras livres e o esbanjamento tecnológico que sustenta os negócios virtuais das bolsas de valores e mercado futuro.